Notícias

 

22/11/2016
Bancário que conseguiu reverter justa causa será indenizado por danos morais
Após conseguir reverter, na Justiça do Trabalho, a justa causa que lhe foi apl...

 

22/11/2016
Câmara mantém condenação a empresa que submeteu empregado ao trabalho com pó de sílica, sem proteção, mas revê valor
A 7ª Câmara do TRT-15 deu parcial provimento tanto ao recurso da reclamada, um...

 

22/11/2016
Síndica e condomínio são condenados em ação civil pública por ofensas a empregados
A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho condenou um condomínio reside...

 

21/11/2016
Turma considera válida como meio de prova gravação de conversa telefônica clandestina entre testemunha e ex-empregador.
O entendimento dominante do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de...

 

21/11/2016
Danos materiais, morais e estéticos: empresa é condenada a indenizar trabalhador que perdeu dedo da mão direita
A 6ª Câmara do TRT-15 condenou uma empresa privada que atua na área de associa...

 

17/11/2016
Demissão de doméstico não necessita de homologação por sindicato
Diferentemente do que ocorre com o empregado celetista, não há obrigação lega...

 

17/11/2016
É ilegal a retenção de créditos do trabalhador para pagamento de honorários advocatícios contratuais
Após ter direitos trabalhistas reconhecidos judicialmente e celebrar um acordo...

 

17/11/2016
Beneficiário do INSS deve romper vínculo trabalhista para receber complementação de previdência privada
Os beneficiários de previdência complementar patrocinados por entes federados ...

 

 

 

Todas as Notícias Todas as notícias.

Notícias

 

27/11/2009

Transferência de empregado entre Matriz e Filial


Preliminarmente, a título de esclarecimentos, informamos que a transferência
de empregados é permitida entre estabelecimentos da mesma empresa
(matriz/filial) ou entre empresas do mesmo grupo econômico.

Existirá grupo econômico sempre que uma ou mais empresas, tendo embora, cada
uma delas, personalidade jurídica, estiverem sob a direção, controle ou
administração de outra, constituindo grupo industrial, comercial ou de qualquer
outra atividade econômica (art. 2º, Parágrafo 2º da CLT).

Assim, não ocorrendo essas hipóteses deverá ser procedida a rescisão do
contrato, lembrando que o fato das empresas terem sócios em comum, não significa
que as empresas formem um grupo empresarial para fins de transferência.

Portanto, sendo uma transferência ou remoção, por exemplo, o empregador
deverá promover as devidas anotações na CTPS, em anotações gerais, e em
observações no livro de registro de empregados, informando que o empregado foi
transferido/removido para ... em data de ..., com os direitos trabalhistas
garantidos, onde terá o número de registro ...; enviar para o estabelecimento
para o qual o empregado foi transferido a fotocópia da ficha de registro ou
folha do livro com a anotação; no local onde o empregado irá trabalhar deverá
ser aberto novo registro com os dados anteriores e informando em observações que
o empregado veio transferido de ... em data de ... com todos os direitos
trabalhistas adquiridos, onde estava registrado sob o número ... Deverá elaborar
o CAGED, informar na RAIS e na GFIP.

Quanto à comunicação para a Caixa Econômica Federal, o informe se dará
através do preenchimento da GFIP/SEFIP, com o código N1, e a data da
movimentação (transferência), conforme orientações constantes do respectivo
Manual, atualizado pela Instrução Normativa 880/2008.

Finalmente, recomendamos a análise, também, da convenção coletiva de
trabalho da respectiva categoria, para verificação de procedimento diferenciado,
caso em que deverá ser observado.

FONTE: Boletim Semanal Fiscodata - 26.11.2009


 

 


 

 

 Todas as notícias.
 Página inicial.

 

Mariano & Dias - Sociedade de Advogados

Unidade Campinas: Av. Aquidaban, n° 582, Sala 32, Centro - Campinas/SP - CEP 13026-510, próximo á Agência da Caixa Econômica Federal.

Unidade Americana: Av. Iacanga, n° 1267, Sala 5, Jardim Ipiranga - Americana/SP - CEP 13026-510, no mesmo quarteirão da Caixa Econômica Federal.